Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ideias e Ideais

... Sou das Ilhas de Bruma onde as gaivotas vêm beijar a terra...

Ideias e Ideais

... Sou das Ilhas de Bruma onde as gaivotas vêm beijar a terra...

Bem-vindo(a)

Hoje tudo o que eu queria
era a tua visita.
Não sei porquê mas fazia-me bem
que me deixasses uma mensagem.
Se não gostares do
meu cantinho diz.
Podes ficar descansado(a)
que não vou ralhar contigo.
Para quem não sabe
e me visita pela primeira vez
este é um espaço de
um Açoriano da ilha Terceira.
Aqui vou falando
da minha terra
e das minhas ideias e ideais
.Obrigado por me visitares

Outono

25.11.13, ilhas
Hoje, enquanto almoçava, vi e senti o que abaixo se transcreve:    Outono    Um sol quase primaveril.  As folhas caem num bailado,  Que não se dá em Maio ou Abril.  Há um vento que sopra alado  As cores se transformam em mil  Partículas de som não inventado.    Correm as minúsculas folhinhas,  Em aparato único, tão singular,  Fazem-me lembrar avezinhas  Teimosamente no seu voar.    Parecem belas notas musicais  Escritas pra esta bela estação. (...)

Vem...

15.11.13, ilhas
Vem, senta-te ao pé de mim A ouvir este mar sem fim A bater na rocha da ilha Vem, escuta com o coração Não deixes avançar a erosão O teu olhar ainda brilha   Vem, senta-te no rochedo Não, não tenhas medo Que a seiva desta ilha Há muito se solidificou Vem que o mar sussurrou: O teu olhar ainda brilha   Vem, pelas marés e vulcões Apagar certas erupções Que nunca chegam ao mar Vem, que a vida floresce E este magma já aquece O brilho do teu olhar!    

Sextilhas da ilha

08.11.13, ilhas
Por vezes sinto no vento Uma Brisa do pensamento Que me faz nele vogar Inalo o cheiro da terra Deste mar que não cerra De ninha alma povoar   Estes meus versos e rimas Pobres, mas obras-primas, Minha humilde inspiração São retalhos que costuro Com enlevo aqui apuro Dentro do meu coração.   Não sou poeta afamado Nem terei nome gravado Nos anais da nossa história Sou apenas um aprendiz A quem deram nome de Luís Que não ambiciona glória!          

cá na ilha

21.10.13, ilhas
Cá na ilha sabe bem Quando logo p´la manhã Nasce o sol madrugador Ondas mansas murmuram  Gaivotas nelas pululam  Grasnando hinos de Amor   Ilha contente s` espreguiça  E nas ondas se derriça  Com alegria incontida ... Tudo  começa a nascer Assim até o mundo ser  Esta será nossa vida      Aqui na ilha sabe bem  Viver assim como nem  Outro mundo assim exista Este amanhecer é só me u Não partilho este céu  Nem horizonte da vista!

um poema da Azoriana

25.05.08, ilhas
Directamente da Caixa de comentários este poema da Azoriana:   Isto agora vai rarear, O teu blog vai repousar Perante a nova chegada. São fraldas e biberões, Alegrias e tais emoções Que não dá para mais nada. Ó quem me dera ir vê-lo Pegar nele, conhecê-lo, Nesse vosso paraíso; É que quando um filho chega Tudo em nós se aconchega E multiplica o sorriso. A fase é deliciosa, E de amor radiosa, (...)

Um Poema

17.05.08, ilhas
                                                                    O bloguista e poeta Paulo Roldão, padrinho do Samuel , dedicou-lhe o poema que abaixo se reproduz:                                                                       Os olhos brilham Quais faíscas De um fogo interno . (...)

Metáfora

15.04.08, ilhas
Folheio palavras que de ouro Se vestem e de diamantes Se ornam. Um belo tesouro Que leio por longos instantes   Trago este gosto a poesia Condimento deste prato Que me enche e tanto sacia Mas que nunca me faz farto   Escrita na ponta da língua, Manjar divino desta mente,   Com ela nenhuma míngua Fome ou sede a alma sente   Palavras sãmente despidas Enroscadas em melodia São sempre belas, atrevidas Desejo que em mim havia    Palavras soneto, quadra Prosa escrita ou só (...)

Feliz Páscoa

23.03.08, ilhas
  Hoje brotou uma flor Não uma qualquer Foi cheia de espinho Sorriu à dor Percorreu um caminho   Hoje brotou uma flor Sem um sorriso sequer Abriu ao mundo os olhos Da falta que faz o amor Por este mundo aos molhos   Hoje brotou uma flor A flor da vida Força que o homem quer A flor mais divina Na criação tida   Hoje a flor brotou Porque o coração Aprendeu a amar A flor voltou a reviver Sozinha se replantou   Hoje todas as flores  brotarão Porque a flor da (...)

Poema da Rosa Dias

06.12.07, ilhas
Num dia Outonal, já a folha caía        e um grupo regional, espalhava alegria.   Num voo embarcamos, em pista certeira e só aterramos na ‘Ilha Terceira’. Chuva abençoada chegou sem aviso criando algazarra, motivos de riso. De braços estendidos, um  povo sorria p’ra nos receber, com muita alegria isto foi verdade, amor fraternal demonstrando unidade, neste Portugal.   A união que existia,  mais forte ficou porque após dia a dia, o laço apertou (...)

Ecografia da Vida!

02.12.07, ilhas
Silêncio... Ausculto! Quase que, milimetricamente , Posso medir o que sentes O que ouves, A que te sabem Os sabores da Vida.   Silêncio... Existes! Vi-te,  A preto e branco,  boiando, feliz no liquido amniótico envolvido nesse silencio que a vida  dá.   Silencio... Quase choro de felicidade, E tu nessa paz , Que em nove meses Deves aproveitar.