Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ideias e Ideais

... Sou das Ilhas de Bruma onde as gaivotas vêm beijar a terra...

Ideias e Ideais

... Sou das Ilhas de Bruma onde as gaivotas vêm beijar a terra...

Bem-vindo(a)

Hoje tudo o que eu queria
era a tua visita.
Não sei porquê mas fazia-me bem
que me deixasses uma mensagem.
Se não gostares do
meu cantinho diz.
Podes ficar descansado(a)
que não vou ralhar contigo.
Para quem não sabe
e me visita pela primeira vez
este é um espaço de
um Açoriano da ilha Terceira.
Aqui vou falando
da minha terra
e das minhas ideias e ideais
.Obrigado por me visitares

Os meus dois bonecos

03.04.11, ilhas

 

Um bonito comentário da Azoriana a esta Foto:

 

"Ao Samuel e Isaac
(e seus pais Luís e Elisabete)

São os filhos do Amor
Dos pais para a vida inteira
São os que darão valor
Às ilhas do Pico e Terceira.

São eles que quando beijam
O olhar do pai e da mãe
No seu coração já lhes deixam
Toda a nobreza que têm.

Como é lindo este conjunto
De irmãos tanto queridos
Doravante o teu assunto
Será tê-los distinguidos.

"Bonecos" de carne e osso
De beleza e de graça
Parabéns sóis um colosso
Pelo bem que vos repassa."

E assim ficou completo o post.

 

atá Já

 

Cantigas de Carnaval - Cantinho 2011

03.04.11, ilhas

A Despedida do Grupo do Cantinho em 2011

 

I

Um dia quero aqui voltar

P´ra vos puder encontrar

Em sã e pura amizade

Adeus amigos, até um dia

E que esta vossa alegria

Dure uma eternidade

 

Que esta alegria perdure

E nossa amizade dure

Durante nossa vida inteira

Não seja só no Carnaval

Mas da Pascoa ao Natal

Seja unida a Terceira

 

Coro: 

Adeus; adeus meu Povo

Que a tradição venera

Voltar aqui de novo

È o que a gente espera

São Mateus sai cantando

Com alegria na voz

E o coração vai chorando

Com saudades de todos vós

Adeus que este Cantinho

Vai já p`ra São Mateus

Levar este carinho

Que vemos nos olhos teus

 

II

A pensar na despedida

Também se pensa na vida

E em quem anda a sofrer

Tanta gente sem comida

Sem tecto p`ra guarida

E nós sem nada fazer

 

Neste mundo tão desigual

Oxalá que o Carnaval

Sirva para te alertar

Pra uma pequena migalha,

Que a outros muito calha,

Estejas disposto a dar.

 

III

Nós somos de um cantinho

Que fica num caminho

Lá no lindo São Mateus

Nossa alma a chorar

Por vocês vai a rezar

Fiquem na graça de Deus

 

Lá p´ro que der e vier

São Francisco Xavier

Tem a sua bela ermida

Ao lado Espírito Santo

Tece alegria e encanto

E  força nos dá pra vida

 

IV

Há um cheiro a maresia

Que afinal só podia

Ser do nosso São Mateus

Vem sorrindo à beleza

Que a mãe natureza

Oferece aos olhos teus

 

Adeus diz este cantinho

Nesta moda do bailhinho

Com saudades da simpatia

Amigos meus adeus, adeus

Estamos láem são Mateus

Á vossa espera um dia

 

Sucesso no "Serreta Na Intimidade"

03.04.11, ilhas

Foi perante uma casa quase cheia que Rosa Silva lançou o seu livro "Serreta na Intimidade" fiquei muito contente de ter lá estado e de a ter ajudado, para que a concretização do seu sonho, pudesse ser coroada dos maiores êxitos.

Aqui fica para a posterioridade o texto que escrevi e li em geito de apresentação:

 

Depois de lido um poema da autora de “Serreta na intimidade” em que espelha bem o que significa para ela este dia, vou apresentar-me Chamo-me Luís Nunes e é com muita alegria (e até orgulho) que me associo a um dos dias mais importantes da Vida de Rosa Silva. A minha função  será a de apresentador do que aqui irá acontecer esta noite e também de ler alguns poemas que fazem fazer parte do livro e também que rebusquei dos muitos que a Rosa tem publicados On Line , é o caso do que acabei de ler..  

A maior parte das pessoas, pelo mundo fora, conhece a Rosa Silva por Azoriana, “Terceirense das Rimas”, e conheceram-na como eu pela Internet, através do Blogue que é talvez a sua grande paixão.

Um dia eu, por brincadeira, resolvi criar um blogue, sem saber bem no que me estava a meter, o primeiro comentário que recebi de apreço e motivação foi da Rosa. Estando eu, na altura, a passar um momento difícil da minha vida, minha mãe estava em fase terminal, a Azoriana ia seguindo os meus posts, para quem não sabe posts são os artigos que editamos nos blogues, e identificando-se comigo no meu sofrimento, pois já tinha perdido a sua mãe e sabia o que eu estava a sentir. Estando eu  no hospital na hora da visita ela telefona-me, convém realçar que até então só nos conhecíamos pelos blogues, solicitando permissão para ir-me visitar e conhecer a minha mãe. Claro que acedi. A curiosidade era muita. Gostei de a conhecer e a amizade, com altos e baixos, ficou até hoje. Juntos organizamos dois encontros de bloguers que baptizamos de “Encontro Bloguista da Ilha Terceira”. Quando a Rosa quis sair da organização dos encontros eles morreram! Faltou a força e teimosia dela para se ter coragem de levar em diante a iniciativa. Diga-se que é necessária muita coragem, porque depois da polémica que gerou o hino do bloguista, escrito pela Rosa e cantado pelo carocho, conjugado a um Power Point de má qualidade que eu fiz, que criou, talvez, a maior guerra escrita acontecida nos Açores  entre Micaelenses e Terceirenses, não é fácil voltar a organizar um encontro. Imaginem que a Rosa, por causa desta batalha, ia quase desistindo  do seu blogue.

Hoje, a Rosa realiza o sonho que acalentava há alguns anos de lançar um livro. Escolhe a terra que a viu nascer para o fazer, e  inclui-me nas páginas do mesmo na perspectiva de bloguer e amigo o que muito me satisfez. Mas também me inclui nesta página viva da sua vida trazendo-me a esta Serreta, pela qual eu também nutro muita afeição, ( não fosse eu devoto de Nossa Senhora dos Milagres), para que também possa render-me a esta homenagem de uma filha a  três mães: Matilde, Nossa senhora dos Milagres e à mãe Terra.

 

Em breve aqui postarei as quadras que dediquei à Rosa e que foram muito apreciadas pelos presentes.

 

Parabéns pelo livro e muitos sucessos na sua venda.

 

Até já.