Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ideias e Ideais

... Sou das Ilhas de Bruma onde as gaivotas vêm beijar a terra...

Ideias e Ideais

... Sou das Ilhas de Bruma onde as gaivotas vêm beijar a terra...

Bem-vindo(a)

Hoje tudo o que eu queria
era a tua visita.
Não sei porquê mas fazia-me bem
que me deixasses uma mensagem.
Se não gostares do
meu cantinho diz.
Podes ficar descansado(a)
que não vou ralhar contigo.
Para quem não sabe
e me visita pela primeira vez
este é um espaço de
um Açoriano da ilha Terceira.
Aqui vou falando
da minha terra
e das minhas ideias e ideais
.Obrigado por me visitares

Em Maio de Maios!

01.05.08, ilhas

O meu amigo Luís Moisão , num dos seus belíssimos comentários, perguntou o que eram os Maios na Ilha Terceira. Aqui fica a resposta baseada numa pequena pesquisa em que parte do texto é da minha autoria e a outra é de pessoa que desconheço, pois foi retirado de uma fotocópia que a minha esposa possui.

Terão as suas possíveis origens, quer nas festas públicas da antiga Roma, dedicadas à deusa Flora, as Floralla ”, que talvez mais provavelmente nas Célticas, que eram festas cujo objectivo era “libertar a Terra e a Humanidade das forças más e destrutivas do Inverno”, acolhendo a Primavera.

Na nossa Ilha estas festas constam da realização de bonecos, com as dimensões humanas, feitos com roupas velhas que se enchem de palha ou com qualquer outro material e que se colocam aos balcões, varandas e janelas das casas, na madrugada do 1ª de Maio, aí permanecendo todo esse dia.

Simultaneamente fazem-se, comem-se e oferecem-se “papas grossas” de milho mal moído. Com estes actos, bonecos e comeres, pretende-se, embora hoje tudo se realize apenas como prosseguimento de uma tradição, esconjurar o mal, os espíritos maus do Inverno que terminou. E isso é conseguido, quer através da figuração dos bonecos, quer com o comer das “papas grossas”, pois o comer é um dos meios de afastar o medo e controlar o mal; ou é ainda, segundo outra interpretação, a consagração da fecundidade primaveril e da abundância

Os bonecos de que atrás se fala representam cenas da vida quotidiana, alguns  constituem autenticas paródias e sátiras à vida social e politica local e nacional. Esta tradição , segundo tenho conhecimento,  está arreigada em vários pontos do país, por exemplo no Algarve, e também em Espanha na Galiza.

Em outras zonas de Portugal existem as “Maias” que também podem ser representadas por bonecos de grandes proporções ou então enfeitam-se as entradas das Casas com giestas para que  não entrem os maus espíritos…

Outra das tradições deste dia é levantar-se cedo para que o “Maio” não entre…

Hoje a Ilha estará repleta de Maios, farei todos os possiveis para captar algumas imagens para que depois os meus visitantes possam apreciar.

 

1 comentário

Comentar post